Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Corte e costura...

Vivo no presente, o passado está lá atrás, e é lá que pretendo que ele permaneça...o futuro virá e aqui estou eu de braços bem abertos e com um largo sorriso no rosto, ansiosamente à espera de o receber!

Corte e costura...

Vivo no presente, o passado está lá atrás, e é lá que pretendo que ele permaneça...o futuro virá e aqui estou eu de braços bem abertos e com um largo sorriso no rosto, ansiosamente à espera de o receber!

Quando se prova do próprio veneno...

Abril 10, 2013

Sem voltar atrás...

...ele é MUITO mais amargo. Isto é um facto provado e consumado!

Culpar os outros pelos nossos problemas, pelas nossas falhas e pelas nossas frustrações, é algo comum do ser humano, o improvável e o que quase nunca acontece, é olhar-mos para dentro de nós, pôr-mos a mão na consciência e dizer-mos: “mea culpa”! 
A minha bagagem, as minhas culpas, sou eu que as devo carregar, o mundo e as pessoas que me rodeiam não têm que o fazer por mim. Ninguém está contra a minha pessoa, não existem perseguições nem conspirações sobre a minha vida! Já diziam os mais experientes: “quando tudo parecer errado, olhe para si e encontre o problema!” Parece difícil e em boa verdade vos digo que exige dedicação, é bem mais fácil e confortável “sacudir a água do capote” para cima dos que estão mais próximos, do que assumir duma vez que o problema está em nós mesmos.

Na hora de passarmos por situações idênticas às que anteriormente criticámos, sabem o que fazemos? Enterramos a cabeça na areia ou olhamos para o lado na tentativa de nos enganarmos a nós próprios, ou então pensamos “ahhh mas esta situação é muito diferente”...claro que é, o mais que não seja porque é connosco e não com os outros! Não se iludam minhas amigas, todas nós já fizemos julgamentos e juízos de valor, todas nós já apontamos dedos, criticámos pessoas e situações, para no final, cometermos os mesmos erros. Tudo se resume a: “não gosto que me façam a mim, então, não farei com os outros”...e vice-versa, correto? Pois, deveria ser assim! O mundo seria mais leve, mais colorido, as pessoas respeitar-se-iam mais. Provar do próprio veneno não é tarefa fácil. Por isso, precisamos rever valores, precisamos olhar de dentro para fora e não permitir que a nossa própria mesquinhez nos leve ao abismo da culpa e da dualidade de ações para connosco e para com o outro/a. Se um dia o ser humano conseguir esta proeza, com toda a certeza que viveremos mais e melhor!

 

 

Contagem

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D