Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Corte e costura...

Vivo no presente, o passado está lá atrás, e é lá que pretendo que ele permaneça...o futuro virá e aqui estou eu de braços bem abertos e com um largo sorriso no rosto, ansiosamente à espera de o receber!

Corte e costura...

Vivo no presente, o passado está lá atrás, e é lá que pretendo que ele permaneça...o futuro virá e aqui estou eu de braços bem abertos e com um largo sorriso no rosto, ansiosamente à espera de o receber!

MORE THAN WORDS

Março 13, 2013

Sem voltar atrás...

 

"Ninguém avança pela vida em linha recta. 

 

 

Muitas vezes, não paramos nas estações indicadas no horário...

Por vezes, saímos dos trilhos...por vezes, perdemo-nos, ou levantamos voo e desaparecemos como pó...

As viagens mais incríveis fazem-se às vezes sem se sair do mesmo lugar.  No espaço de alguns minutos, certos indivíduos vivem aquilo que um mortal comum levaria toda a sua vida a viver. Alguns gastam um sem número de vidas no decurso da sua estadia cá em baixo... alguns crescem como cogumelos, enquanto outros ficam para trás, atolados no caminho.

Aquilo que, momento a momento, se passa na vida de um homem é para sempre insondável.

É absolutamente impossível que alguém conte a história toda, por muito limitado que seja o fragmento da nossa vida que decidamos tratar."

 

(Henry Miller, "O Mundo do Sexo")

 

 

"Se queres ver o mundo inteiro à tua altura , tens de olhar p´ra fora sem esquecer que dentro é que é o teu lugar ..."

JORGE PALMA em "Na terra dos sonhos"



 

Mulher moderna...ou não!

Março 12, 2013

Sem voltar atrás...

São 6h15...o telemóvel toca e eu não tenho forças nem para o atirar contra a parede.
Estou cansada...não queria ter que trabalhar hoje...queria ficar em casa, organizar as coisas, cozinhar, ir levar a piolha à escola...se eu tivesse tempo, gostaria de me inscrever num ginásio e tirar uma horita por dia para “ginasticar”!
Tudo menos sair da cama e ter que por o cérebro a funcionar ainda antes do sol nascer! Isto não é preguiça, juro que a questão não se prende por aí!
Gostaria de saber quem foi a mente iluminada, a infeliz matriz das feministas que teve a estúpida ideia de reivindicar os direitos da mulher...estava tudo tão bem no tempo das nossas avós...elas passavam o dia a bordar, a trocar receitas com as amigas, trocavam mutuamente segredos de remédios caseiros, tratavam da casa, cuidavam da horta, educavam os filhos e zelavam pelos seus maridos e pelo conforto da família!

Depois, aparece uma tipa qualquer que não gostava de usar sutiã nem tão pouco de espartilho, e contamina várias outras rebeldes inconsequentes com ideias mirabolantes sobre "vamos conquistar o mundo e o nosso espaço"! Mas que espaço, e que mundo pá? As nossas avós já tinham a casa inteira, o bairro todo, o mundo aos seus pés, detinham o domínio completo sobre os homens, eles dependiam delas para comer, para vestir, p’ra tudo! Mas que raio de direitos de merda queriam mais?
Agora eles estão aí, os direitos tão reivindicados, aguentem-se meninas!
PORQUE? Digam-me porque é que um sexo que tinha tudo do bom e do melhor, que só precisava parecer frágil, foi-se meter a competir com o sexo oposto? Olhem o tamanho dos bíceps deles, e olhem o tamanho dos nossos. Era claro como a água, que a coisa não ia resultar, tanto que no presente, continuamos a “sofrer” o preconceito em muitos ramos da sociedade, e não se iludam meninas, a realidade é essa mesma!
Estou cansada do ritual diário de ter que disfarçar o meu humor, de passar o dia em frente do computador, com o telefone no ouvido, a tentar resolver problemas que nem são meus!
E como se isso não bastasse, ser fiscalizada e cobrada por mim mesma, ter a educação que é precisa, com a simpatia q.b., com a casa minimamente limpa e arrumada, com um leve sorriso no rosto, quando só me apetece gritar, chorar e desatar a partir tudo o que me aparecer pela frente (ufffffffffffffffffff!!!!!!!).
A história está repleta de mulheres que foram a excepção, que conquistaram o seu lugar ao sol e marcaram épocas, que foram marcos e fizeram grandes proezas. Isso só prova, que já outrora nós fomos guerreiras e lutadoras...mas isso não bastava, era preciso mais! Pois então,  tornámo-nos MULHERES com os mesmos direitos sim!  Hoje em dia já ocupamos lugares de poder na sociedade, conseguimos obter o respeito e a consideração do sexo oposto, mas não nos esqueçamos que também continuamos a ser “marginalizadas” e continuaremos a carregar o peso do preconceito, e tudo porquê? Porque nascemos com uma “rachita” entre as pernas! Volto a repetir, não se iludam, tudo o que disse atrás é a nossa realidade sim!
CHEGAAAAAAA! Eu quero recuar umas quantas décadas e quero que me sejam atribuídas somente as tarefas que a minha avó tinha! Se puder conciliar um ordenado com essas tarefas, melhor ainda!
Vocês pensam que eu estou a ser irónica? Estou a falar a sério! Estou a abrir mão do meu posto de mulher moderna...

 




SOU MULHER E ADORO!

Março 08, 2013

Sem voltar atrás...

 

...sou tudo isto e muito mais! Um bicho esquisito, complicado e impossível de entender, se assim não fosse, não seria uma mulher, seria um homem!

Um Feliz dia a todas as mulheres do mundo!

O timing certo!

Março 05, 2013

Sem voltar atrás...

Já aqui referi em post’s anteriores que eu tenho a vida que escolhi, sim, a vida que EU ESCOLHI! Nunca permiti que fosse a vida a escolher por mim, nunca me entreguei aos facilitismos com que tantas vezes me deparei, nunca me entreguei ao conformismo, nunca enveredei pelo caminho mais fácil, nunca optei pelas opções mais confortáveis e mais seguras! Se o tivesse feito, talvez me tivesse poupado a mim própria de momentos de angústia e indecisão (porque também os tive e porque faz parte), talvez tivesse chorado menos, sofrido menos! Não foi a vida que quis assim, fui eu! A vida facilitou-me sempre o caminho, comecei a trabalhar cedo, com apenas 16 nos, e desde aí nunca mais parei. Não sei o que é estar em filas do centro de emprego, não sei o que é receber o subsídio de desemprego, não sei o que é precisar de dinheiro ou para pagar contas ou para os meus caprichos! Estive sempre rodeada daqueles que mais amo, sempre com o total apoio para as escolhas tomadas por mim, e esse facto impulsionou-me sempre para ir mais além! Ao longo do tempo, e desde muito cedo me senti invadida por uma sensação de “insatisfação”...nunca soube muito bem explicar o que me faltava, nem o que queria, mas o facto é que ao fim de algum tempo de permanecer no mesmo emprego, normalmente a fazer coisas que até gostava, começava a dar sinais de desgaste emocional, daí a procurar outro emprego que me desse uma outra satisfação, era um saltinho! A coisa mantinha-se em altas durante um período de tempo, até que a determinada altura, voltava a sentir-me igual, insatisfeita, incompreendida, enfim, uma “tosca”, porque afinal de contas, não me faltava nada!

Nesta fase da minha vida, não me posso dar ao luxo de “saltitar” de emprego como o fazia à uns anos atrás, mas sinceramente, isto está a começar a mexer-me com os nervos...já ponderei a possibilidade de pedir uma transferência para um local um “nadica” mais perto de casa, mas aí, valores mais altos se levantam, a pequena “M” e o facto de não ter qualquer tipo de apoio e estrutura familiar por perto, que me permita trabalhar por turnos, a mim e ao Super “J”. Dependo do babe, só o tenho a ele, e ele, só me tem a mim...temos que conciliar os horários para que a piolha consiga ter um horário mais ou menos normal, de entrada e saída do colégio, se não for assim, estamos os dois literalmente F*****, já para não falar na instabilidade criada nas rotinas da piolha se assim não fosse! Para isso, contamos com o jogo de cintura um do outro, e deixem-me que vos diga, que a coisa funciona muito bem! O que eu gostava mesmo? De ter o conforto do horário e das folgas nas Caldas da Rainha, que tenho aqui em Lisboa...ahhhhhhhh, isso era ouro sobre azul, era a cereja no topo do bolo! Mas como em tudo na minha vida, vou ter que esperar pelo timing certo, a piolha ainda é pequenita...vou esperar que ela tenha mais uns anitos, e aí, dou o salto...definitivamente é isso que farei!  

A Babe.

 

 

“Porque não há liberdade maior do que a que nos permite ser e viver segundo a nossa vontade! “

(SVEVA CASATI MODIGNANI – Em “6 de Abril 96”)

Parabéns ZIPPY!

Março 01, 2013

Sem voltar atrás...

Quando adoptamos o Zippy, foi-nos dito que tinha aproximadamente 2 meses, por isso e por não haver certezas da data exacta do seu nascimento, optámos por escolher o dia 1 de Março como o dia do seu aniversário.

"Hoje tás de parabéns meu amigão, e logo quando chegar a casa terei uma surpresa para ti!"

 

 

Era assim quando chegou a nossa casa, com apenas 2 mesinhos...

 

 

Hoje, com 1 ano estás assim...um grande e lindo gato preto, por quem eu me sinto completamente encantada!

QUEM ESPERA DESESPERA... (parte III)

Março 01, 2013

Sem voltar atrás...

 

Talvez pudesse o tempo parar, quando tudo em nós se precipita…quando a vida nos desgarra os sentidos e não espera…ai quem dera…houvesse um canto para se ficar, longe da guerra feroz que nos domina, se o amor fosse como um lugar a salvo sem medos, sem fragilidades…”

 

(Mafalda Veiga)

 

 

BABE: ”...desculpa amor...desculpa! Não queria estar a fazer-te passar por isto... (lágrimas)”

EU: “...não peças desculpa babe., não há nada a desculpar...estou contigo para o bem e para o mal...só queria poder ajudar mais...mas não consigo (abraço apertado)!”

BABE: “...tu não podes ajudar mais amor... ”

 

...”foi esta a nossa conversa ao cair na cama no final daquele dia, e que dia babe! Eu levantei-me cedo, tomei banho, sacudi as ideias, bebi um café e subi ao quarto para te acordar e para arranjar a pequena “M”, tu já estavas acordado (se é que dormiste nessa noite) , começaste a arranjar-te e instalou-se o stress! Para não acontecer o mesmo que da outra vez, levantamo-nos mais cedo, despachei a piolha e estava praticamente pronta quando se deu o click na tua cabeça...primeiro por causa das horas, depois por causa de qual dos carros levávamos, depois por causa do combustível...quando deixámos a piolha no colégio, eu que estava a tentar manter a calma, vi-me a ser atingida pelas tuas preocupações de uma forma inesperada! Falavas de uma forma irritada, reclamaste por eu ir a conduzir devagar (do teu ponto de vista), depois no caminho o stress foi mais que muito, desde gritos aos outros condutores, como se eles te pudessem ouvir, a meteres a mão no volante por entre as minhas, e buzinares aos carros que seguiam na nossa frente...tentei compreender a tua postura naquela manhã, não abri a boca (mas respirei fundo muitas vezes), na minha cabeça a coisa também não estava boa, mas tendo em consideração o que estava para vir, consegui manter-me em cima do salto e não desatar a berrar contigo, o que implicaria uma paragem estratégica a meio caminho para que conduzisses tu até ao nosso destino! Depois de chegarmos acalmaste um pouco, mas ainda assim estavas demasiado fora de ti! A manhã foi passada praticamente a ouvir a “T” que só não te enterrou mais porque não teve como, depois do almoço, ao entrar na S.A., descompensei por completo e não consegui segurar as lágrimas nem os tremores no corpo...a “L” ao meu lado tocava-me na perna e dizia para ter calma...difícil...muito difícil, mais ainda quando o “PMP”  começou com as alegações finais! Ter alterado a acusação, não me aliviou, apesar (confesso) de a minha alma ter relaxado um pouco...estiveste muito nervoso durante o dia inteiro, e esse nervosismo refletiu-se em mim! O dia acabou por ser salvo após deixar-mos aquele espaço, jantamos entre amigos, reviveste momentos felizes dos anos passados em Sines, e apenas quando caímos á cama, voltaste a dar sinais de desgaste!

Foi assim o nosso dia, e agora babe, vamos aguardar mais uma vez serenos pelo dia em que a decisão te será comunicada! Estou otimista, juro que estou, e precisava de ver em ti a mesma garra que caracteriza o homem que és no teu dia-a-dia! Tal como te disse naquela noite ao deitar, estou contigo para o bem e para o mal...

Com Amor, a tua babe.”

 

Pág. 2/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub