Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Corte e costura...

Vivo no presente, o passado está lá atrás, e é lá que pretendo que ele permaneça...o futuro virá e aqui estou eu de braços bem abertos e com um largo sorriso no rosto, ansiosamente à espera de o receber!

Corte e costura...

Vivo no presente, o passado está lá atrás, e é lá que pretendo que ele permaneça...o futuro virá e aqui estou eu de braços bem abertos e com um largo sorriso no rosto, ansiosamente à espera de o receber!

A propósito de racismo...não nos armemos ao "pingarelho"!

Fevereiro 19, 2020

Sem voltar atrás...

crianças.jpg

Numa altura em que tanto se fala de racismo, epá deixem-me lá atirar aqui umas larachas e cagar umas postas de pescada que este assunto já enjoa! À Joacine, ao Marega e a outros tantos que sentem neste momento a sua dignidade ferida: Cresci na margem sul, vivi a minha infância a brincar com "pretos", "ciganos" e na escola tive colegas que viviam em bairros problemáticos; a casa dos meus pais fazia "paredes meias" com a Quinta da Princesa, Bairro 25 de Abril, Bairro da Jamaica e andando uns 5 km para norte tínhamos o Miratejo (bairro onde parava todo o tipo de bandidagem) um pouco mais a sul tínhamos o Bairro da Amoreira (baixa da banheira) e o Bairro da Bela Vista (Setúbal)! Convivi com todo o tipo de gente e fiz de alguns, amigos para a vida!

Cresci a ouvir expressões tais como: "Pula" mete nojo! "Branca" de merda! "Branquela" filha da puta! À 30 ou 40 anos atrás isto era o quê? Oh por favor, deixemo-nos de hipocrisia e de moralismos de trazer por casa! Todos sem exceção já tivemos momentos em que dissemos ou pensamos: " Preto, cigano, romeno, mitra filha da puta! Deixemo-nos de nos armar ao "pingarelho" e de sermos falsos puritanos! Não podemos transformar as mentalidades nem alterar comportamentos que estão enraizados na própria sociedade! Eu não gosto de bandidos, ponto! Sejam brancos, pretos, ciganos ou de outra etnia qualquer! Esta é a verdade, não tapemos o sol com a peneira nem façamos de um capricho o aceno de uma bandeira!

Greta Thunberg - Minha doce menina

Setembro 26, 2019

Sem voltar atrás...

"Greta tem Síndrome de Asperger. Uma condição do espectro do autismo que afecta as capacidades de comunicação e relacionamento. Greta meteu o Mundo a falar de algo importante. Mas o que vejo é as pessoas a odiar a miúda com todas as forças, a dedicar-lhe insultos indiscritiveis só por falar de forma esquisita. É uma miúda porra! Sou antes de tudo um pai e um homem. Não posso aceitar.

Fala de uma forma diferente? Parece agressiva? Soa a falsa? Talvez. Talvez seja por ser asperga, talvez não. Mas não anda a tentar imitar as Kardashian, a pedir bilhetes para o Justin Bieber, ou chorar porque não tem o último I-Phone. Tem causas, se me permitem, mais elevadas. Se a motivação é nobre ou interesseira, não sei, não sou bruxo. Preferia que fosse nobre. Contudo o que ela diz está certo. A essência é louvável.

Não me importava que Greta, com as suas causas, o seu autismo considerado histérico, a sua preocupação com o futuro, fosse minha filha. Era um orgulho. Mas peço a todos, mesmo que não gostem dela, não concordem, mesmo que não defendam uma solução idêntica para o problema, que não a insultem só porque é moda. Se não concordam, então defendam a vossa visão das coisas. Podem e devem fazê-lo. Até porque essa discussão é fundamental. Chamem-me optimista mas acho que podemos fazer qualquer coisa. Tem é de ser para ontem."

71008051_10157816367907268_203812703754518528_n.jp

 

Eduardo Madeira

Para todas as Marias...

Julho 23, 2019

Sem voltar atrás...

"Maria, era uma mulher como todas as outras! Sonhava casar, trabalhar, ter filhos, uma casa, e viajar! O que Maria não sabia é que as coisas não eram assim tão simples!

Maria era sonhadora, acreditava naqueles contos da Disney, no " felizes para sempre", só nos sabia que na vida real as coisas não eram assim tão encantadas, tão contos de fada!

Maria apaixonou-se, mas também desapaixonou-se! Maria amou, e casou! Maria arranjou aquela casa dos seus sonhos, teve os seus filhos amando-os incondicionalmemte! Maria dedicou a sua vida aos outros, achando que depois iria finalmente dedicar a vida a si!

Maria cozinhou, lavou, passou, ralhou!
Maria amou, desamou, educou, tratou!
Maria cuidou, irritou, chorou, aconchegou!

E Maria sabia! Sabia que quando tudo passasse, quando tivesse finalmente tempo iria cuidar de si! Iria tratar de si! Iria finalmente fazer o que tanto desejava!

Esse tempo chegou! Mas o corpo de Maria mudou! Maria não aguentou, abrandou e o impensável aconteceu! Maria chorou, Maria gritou! Maria desanimou! Maria não aceitou! Maria perguntou, "porque eu?" !

Maria disse se soubesse o que iria acontecer, tinha aproveitado mais a vida! Tinha cuidado mais de si! Tinha feito tudo na mesma, mas lembrando-se sempre de que precisava também de ser cuidada! De ser tratada! De ser mimada!

Maria não sabe o que a espera! Sabe sim, que nunca mais será a Maria que era!

Maria só quer tempo! O tempo que todas nós Marias devíamos de ter!

Todas somos Marias! 
Não sejam aquela Maria que olhe para trás, e diga, porque?? Porquê não cuidei mais de mim!? Porquê não tratei mais de mim?? Porquê não olhei mais para mim!

Para todas as Marias! 
Com amor! 💚🙏"

 

(Mãe & Chocolate)

 

67055786_2359122157685885_8092599055823142912_n.jp

 

 

Um dia ensino-te...

Julho 22, 2019

Sem voltar atrás...

Aos meus filhos (as):

"Um dia ensino-te a importância de saber perdoar;
A assumir as tuas responsabilidades;
A pensares nos outros e não só em ti.

Um dia ensino-te que nem todo o friozinho na barriga é amor;
Que há pessoas que nunca irás esquecer, independentemente de a vida vos afastar irremediavelmente;
A rir das tuas fragilidades.

Um dia ensino-te que nem todo o ciúme é saudável;
Que a confiança se constrói pouco a pouco mas que se pode acabar num ápice;
Que por te terem magoado uma vez não significa que todas as outras pessoas o façam.

Um dia ensino-te a aproveitar os abraços que dás a quem amas;
A valorizar os raros momentos em que podes fazer exactamente aquilo que queres;
A não olhares apenas para o teu umbigo.

Um dia ensino-te que nem toda a mentira tem perna curta;

Que nem toda a verdade tem de ser dita;
Que ganhas muito mais se pensares antes de falar.

Um dia ensino-te que não tens de gostar de toda a gente, mas a todos deves respeito;
A aceitar que nem toda a gente goste de ti;
A não transformar esse facto na luz orientadora do teu caminho.

Um dia ensino-te que há amigos que se amam como a irmãos;
Que há viagens que não se repetem;
Oportunidades que não voltam.

Um dia ensino-te que há certezas que viram dúvidas;
Que não há problema em mudares de opinião;
Que não deves envergonhar-te por não pensares como a maioria.

Um dia ensino-te que a curiosidade é um dom;

Que a felicidade é, basicamente, estarmos aqui e agora;
Que o único responsável por te fazer feliz és TU!

Um dia ensino-te que mesmo quando tudo parece estar a correr-te mal o mundo não está contra ti – apenas te cabe olhar esse mundo com outros olhos para que consigas encontrar um novo rumo;
A não julgar pelas aparências, a não teres preconceitos;
Que nunca saberás tudo sobre toda a gente.

Um dia ensino-te que te vais desiludir com as pessoas mais insuspeitas – e isso faz parte;
Que o amor é uma dádiva e serás uma sortuda se o conseguires ver à tua volta;
Que todas as histórias têm duas versões e deves procurar que a tua seja a mais fidedigna.
Que não deves esperar dos outros exactamente aquilo que dás, sob pena de viveres numa insatisfação permanente.

Ensino-te que há memórias que te irão acompanhar para sempre, por isso procura construir mais momentos bons que maus;
Que por mais que olhes para trás não podes mudar o passado – aceita-o.
Que és a dona das tuas conquistas e dos teus erros.

Um dia ensino-te a valorizares as tuas melhores características e a não chamares a atenção dos outros para os teus defeitos.
Um dia ensino-te que o dinheiro não é tudo;
Que um verdadeiro amigo às vezes é tudo o que precisas;
Que a vida é demasiado curta para culpares os outros por algo que nunca conseguiriam fazer (ou agir) de outra forma.

Um dia ensino-te a amar os livros;
A não responderes a tudo o que te dizem – tantas vezes o melhor é deixar passar e não dar importância;
A ser boa, a não esquecer as tuas origens, a tua família.

Um dia ensino-te a não usares o poder como arma;
A amares-te;
A amares o que a vida tem de bom.

Ensino-te a aceitares todas as tuas cicatrizes;

A procurar o equilíbrio;
A não maltratar os outros, a tratá-los sempre com educação e, aos que precisam, com compaixão.

Um dia ensino-te a saltar mesmo quando sentes medo (para que possas sentir que és quem és e estás onde estás pelo que fizeste mais do que pelo que deixaste de fazer);
A filtrar tudo o que é negativo.
A não te ires abaixo quando estás “sozinha” nas tuas convicções.

Um dia ensino-te a teres orgulho em ti e nos teus.
Que é normal questionares-te.
Que podes tudo, basta trabalhares para isso.

Sei que só serei responsável por te ensinar uma pequenina parte destas lições. A vida encarregar-se-á do restante mas, mesmo assim meu amor, nunca te esqueças que os teus dias são o que fazes com eles, os problemas têm a proporção que lhes dás, que uma atitude positiva é meio caminho andado para seguires em frente.

Um dia ensino-te a voar – com um mapa desenhado nas costas com a ponta dos meus dedos, para que possas regressar sempre.

A mãe deseja-te a melhor e mais rica das viagens."



(Marta Coelho)


someday.jpg

 

 

As princesas não usam coroa!

Março 06, 2019

Sem voltar atrás...

O "felizes para sempre" é um mito, o "amor e uma cabana" é uma utopia...as princesas não usam coroa e os sapos não se transformam em príncipes! As histórias do "era uma vez" e a viagem da Alice ao país das maravilhas há muito que perderam o encanto...ou então não e fui apenas eu que me tornei uma descrente, talvez fruto das rotinas e cancaço do dia a dia! Sabes princesa, não é a vida que cansa, não é o trabalho que não nos realiza, não são os afazeres nem as tarefas a realizar, são as pessoas ou em muitos casos, a falta delas! A falta do toque, do olhar, das palavras, do abraço e do beijo! A vida é feita de opções, de escolhas de caminhos, de direções a seguir, de tomadas de posição com tudo o que isso implica! Sinal de maturidade é termos a capacidade de perceber que todas as nossas decisões têm as suas consequências e devemos ganhar a consciência de que não devemos pisar 2 vezes o mesmo caminho, sob pena de ao recuar, algumas feridas poderem abrir! Eu fiz as minhas escolhas, certas ou erradas, aprendi a viver com elas...se sou feliz? Ahhh tu sabes... Quanto a ti princesa, mesmo sem coroa e sem sapo acredito que começas a perceber e a vislumbrar o teu caminho, e mais uma vez te digo, algo grandioso espera por ti... já ali, no futuro!

13517538_1087217971346257_4954624693582044186_o.jp

Beijar os avós...que tremenda violência!

Outubro 18, 2018

Sem voltar atrás...

Esta "coisa" vestida de preto esteve no programa " Prós e Contras", onde afirmou categoricamente que quando os Pais dizem ás crianças " dá um beijinho à AVÓ ou ao AVÔ" que isto é "educar para a violência do corpo do outro"!

Alguém consegue explicar a esta "coisa" que a base fundamental da organização humana é a Família! Que é na Família que são definidos e construídos os alicerces da educação das crianças! E que dentro da Família, os AVÓS são base fundamental! Porque já educaram os seus filhos, porque ajudam a educar e a criar os netos.

Por sinal, esta "coisa" da foto é também professor universitário. Na Universidade Lusófona. Uma universidade privada onde as propinas não são nada baratas.

Alguém diga a esta coisa, que muitos, mas muitos dos que lá estudam, só o podem fazer, porque os AVÓS, que à custa de poupanças de uma vida, ajudam a pagar em parte e muitas vezes na totalidade essas mesmas propinas. São por isso esses AVÓS, tão mal tratados por este bandalho, que no fundo acabam por lhe pagar o ordenado. Espero que a Universidade Lusófona tenha presente o que isto representa.

Exijo que a RTP, paga com o dinheiro dos meus impostos bem como do roubo da taxa que todos os meses pagamos na conta da luz e que deveria servir para pagar serviço público, de uma vez por todas deixe de dar palco a este verme e a outros como ele. Farta, mas completamente farta, destes bandalhos.

A conclusão que tiro é, os avós darem um beijo ao menino é violência...um beijo de um barbudo enquanto se roça no anormal é amor...estamos bem fod****...

 

44109296_2207473349508361_3611256021994962944_n.jp          

44112023_2046439965376586_4744022439082590208_n.jp

 

Destaque do meu Sapinho!

Junho 28, 2018

Sem voltar atrás...

...e eis que ao final de quase 7 aninhos a escrever e a dedicar-me a este meu cantinho, a equipa que está por trás de tudo isto deu-me o tão desejado DESTAQUE! 

Obrigado meus queridos sapinhos , "tou que tou"...feliz que só eu! 

 

DESTAQUE.gif

 

https://semvoltaratras.blogs.sapo.pt/sou-ma-mae-95016

 

transferir (1).jfif

 

 

 

 

Sou má mãe...

Junho 27, 2018

Sem voltar atrás...

 

Sou má mãe por vários motivos....

Sou má mãe porque os meus filhos usaram chucha. 
Sou má mãe porque aos 5 meses mudei-os para o quarto deles. 
Sou má mãe porque fui trabalhar quando eles tinham 6 meses e ainda precisavam tanto de mim... 
Sou má mãe porque lhes dou papas de compra e bolachas Maria que todos sabem que estão carregadas de açúcar, e sou má mãe porque há dias que me esqueço de lhes lavar os dentes. 
Sou má mãe porque dou colo e o colo vicia, e sou má mãe porque às vezes não dou colo porque não me apetece!
Sou má mãe porque eles já cairam, e sou má mãe porque não os deixo tombar.
Sou má mãe porque os estimulo pouco, ou demais, ou de forma errada!
Sou má mãe porque já houve dias em que não lhes dei banho.
Sou má mãe porque quando eles estão doentes deixo-os dormir na minha cama! 
Sou má mãe porque trabalho a tempo inteiro e estou poucas horas diárias com eles.

Sou má mãe, mas sou a mãe que sei.

E num mundo em que é impossível não se ser má mãe, posso carregar esse titulo.

Sou o melhor que posso e que sinto. Sou tudo o que posso ser, e dou tudo o que posso dar!

Por eles, para eles e com eles...

Sou má mãe, mas sou a melhor mãe que sei ser!

(Liliana Mateus)

 

115636.jpg

 

"Tão sublime quanto incondicional é o amor de mãe, que nos molda e quando não, nos aceita."

Elaine Sekimura

 

 

 

 

A doce loucura de ser militar, mãe e mulher!

Abril 18, 2018

Sem voltar atrás...

Não é segredo para ninguém que sou militar de profissão… à 17 anos que abracei esta carreira e “casei” com esta instituição, orgulho-me da causa e defendo os seus princípios! Quem conhece um bocadinho do estatuto militar, sabe que estamos inseridos numa cadeia de comando com hierarquias a respeitar, aliado a isso temos também “obrigações” próprias que nos são atribuídas por esse mesmo estatuto, dever da disponibilidade, dever de aprumo, dever de zelo...enfim, até ser mãe, dava de mim mais do que me era exigido, a partir do momento que fui mãe, tudo mudou! Tudo mudou porque não permiti que a minha carreira estivesse em primeiro lugar! São opções, respeito quem opte pela carreira e agradeço profundamente que respeitem o facto de eu ter posto a família em primeiro plano! Não pensem, no entanto, que a coisa funciona às mil maravilhas! Em 2007 fui mãe da M e em 2015 dos gémeos M e L, ao passo que na primeira gravidez me mantive no ativo até às 37 semanas (a M nasceu às 38), na segunda gravidez às 7 semanas de gestação estava de molho em casa! Após o nascimento da M, decidi manter o horário normal de trabalho, turnos, sábados, domingos, dias santos, natais e finais de ano, não abri mão do serviço...após o nascimento dos gémeos vi-me a par com 3 filhos, a M com 9 anos a precisar de 1001 atenções, e os gémeos nascidos com 34 semanas a precisarem de todas as mãos possíveis para os cuidados especiais que precisaram na altura, e no meio disto tudo, a decisão que já tinha sido tomada, regressar ao serviço a seu tempo, mas, com horário flexível! A decisão foi fácil tomar, mas passados 2 anos deixem-me que vos diga que a tarefa tem sido árdua de executar, tudo porque o horário fixo obriga-me a ter jogo de cintura para as tarefas do dia a dia e também porque me obriga a “pedinchar” ao chefe horas dentro do horário laboral para poder tratar dos mais diversos assuntos! A juntar a isto,  fiquei sem tempo para mim e deparei-me com a alteração da minha rotina! Trabalhar por turnos é desgastante sim, ter apenas 1 fim de semana de folga de 5 em 5 semanas é duro, sim...trabalhar noites é violento, sim...sair dum serviço à meia noite e voltar a entrar noutro às 7 ou da manhã é cansativo, sim...andar com os sonos todos trocados e não descansar o que o corpo e a mente precisam é doentio, sim...fazer serviço no exterior e contactar com a população, regularizar trânsito, policiar a área nem sempre é fácil, sim...mas, e quando é o conjunto de tudo isto que nos realiza profissionalmente e nos dá satisfação pessoal? É perfeito, é a cereja no topo do bolo, é ouro sobre azul! Pois bem, quando abracei esta profissão tinha a profunda certeza que era tudo isto que queria fazer, e foi o que fiz durante 15 deliciosos anos, hoje tenho um horário fixo (9h/17) num serviço administrativo, não apanho nem frio nem calor, nem chuva nem vento, não tenho à cintura o peso do cinturão com arma, carregadores, bastão, luvas, lanternas, algemas e tudo o mais que possam imaginar, tenho o conforto das noites dormidas na minha cama e das refeições tomadas a tempo e horas, tenho o conforto dos fins semana de folga, feriados, dias santos, natais e finais de ano na companhia dos meus filhos, e acredito piamente que a minha presença faz toda a diferença nas suas vidas, sou uma privilegiada, é assim que me considero, o mais que não seja para confortar o meu lado saudoso dos tempos que andava à “patrulha”, moro junto ao local onde faço serviço, tenho os filhotes em escolas junto ao mesmo e assim, consigo ter tempo para os acompanhar diariamente nas idas e vindas! Digam lá se sou ou não sou uma privilegiada? É este o pensamento que me acompanha a cada dia, mas não poderei nunca esquecer o friozinho na barriga que sentia a cada “entrar de serviço” , mais uma vez o digo, a vida é feita de opções, ainda que tantas e tantas vezes tenhamos que “esquecer” o que nos realiza em prol de um bem maior, no meu caso os meus filhos serão sempre a minha prioridade, afinal de contas, sem eles a minha vida estaria incompleta! Assim, tudo está no sítio certo e tudo aconteceu da forma que deveria ter acontecido!

 

depositphotos_62908045-stock-photo-us-military-mot

 

“A minha vida não é perfeita, mas quando olho para os meus filhos queridos sei que fiz algo perfeito na vida.”

Vidas em suspenso...

Junho 21, 2017

Sem voltar atrás...

mw-860.jpg

 

"Se a vida não tem preço, nós comportamo-nos sempre como se alguma coisa ultrapassasse, em valor, a vida humana... Mas o quê?"

(Antoine de Saint-Exupéry)

 

Ainda a propósito da imensa tragédia que assola o nosso país desde sábado...quero deixar um profundo pesar e um profundo respeito pelos homens e mulheres que vivenciaram de perto esse monstro que devorou tudo por onde passou!

Aos familiares que perderam os seus Amores, que perderam os seus entes Queridos, aos feridos que ficarão para sempre com as marcas físicas desta tragédia, aos sobreviventes que perderam tudo, os projectos de uma vida, as suas terras, os seus animais, as suas casas, aos bombeiros, aos militares, às forças de segurança, aos elementos da protecção civil e civis presentes no terreno deixem-me que vos dirija a minha palavra...quanto tempo levarão vocês a esquecer (se for possível esquecer), a apagar da memória, dos vossos corações e das vossas almas o tamanho horror que viram os vossos olhos? O fogo extingue-se, apaga-se e as florestas cedo ou tarde voltam ao seu curso normal, a natureza há-de encarregar-se de fazer bem o seu trabalho, as casas voltarão a erguer-se, os projectos voltarão a fazer-se...mas e vocês? Por quanto tempo viverão vocês com as vossas vidas em suspenso? Por quanto tempo dormirão em sobressalto e quantas noites passarão em branco? Quantas vezes fecharão os vossos olhos e na imensa escuridão terão presente os momentos de aflição?  Quantas vezes chorarão no silêncio, por não terem conseguido salvar quantos vocês gostariam?

Eu, que estive fisicamente longe dos acontecimentos mas que acompanhei de perto a situação através dos meios de comunicação social e redes sociais, não consegui ficar indiferente...o horror tomou conta do meu pensamento e durante 2 noites o meu sono foi interrompido pelo pesar que sentia no meu coração!

Não consigo imaginar a dor e o sofrimento das vítimas nem das famílias dos que partiram, não consigo imaginar o "peso" que os combatentes do fogo carregarão nas suas vidas, mas há algo que eu sei...que a vida é breve, que esta tragédia atingiu o mais profundo de cada um de nós, que por mais tempo que passe as marcas irão perdurar... mas acima de tudo sei que por cada vida perdida, a floresta renascerá das cinzas para lembrar a sua imponência!

 

"A tragédia da morte consiste em que ela transforma a vida em destino."

André Malraux

 

 

Contagem

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D