Terça-feira, 12 de Março de 2013

Mulher moderna...ou não!

São 6h15...o telemóvel toca e eu não tenho forças nem para o atirar contra a parede.
Estou cansada...não queria ter que trabalhar hoje...queria ficar em casa, organizar as coisas, cozinhar, ir levar a piolha à escola...se eu tivesse tempo, gostaria de me inscrever num ginásio e tirar uma horita por dia para “ginasticar”!
Tudo menos sair da cama e ter que por o cérebro a funcionar ainda antes do sol nascer! Isto não é preguiça, juro que a questão não se prende por aí!
Gostaria de saber quem foi a mente iluminada, a infeliz matriz das feministas que teve a estúpida ideia de reivindicar os direitos da mulher...estava tudo tão bem no tempo das nossas avós...elas passavam o dia a bordar, a trocar receitas com as amigas, trocavam mutuamente segredos de remédios caseiros, tratavam da casa, cuidavam da horta, educavam os filhos e zelavam pelos seus maridos e pelo conforto da família!

Depois, aparece uma tipa qualquer que não gostava de usar sutiã nem tão pouco de espartilho, e contamina várias outras rebeldes inconsequentes com ideias mirabolantes sobre "vamos conquistar o mundo e o nosso espaço"! Mas que espaço, e que mundo pá? As nossas avós já tinham a casa inteira, o bairro todo, o mundo aos seus pés, detinham o domínio completo sobre os homens, eles dependiam delas para comer, para vestir, p’ra tudo! Mas que raio de direitos de merda queriam mais?
Agora eles estão aí, os direitos tão reivindicados, aguentem-se meninas!
PORQUE? Digam-me porque é que um sexo que tinha tudo do bom e do melhor, que só precisava parecer frágil, foi-se meter a competir com o sexo oposto? Olhem o tamanho dos bíceps deles, e olhem o tamanho dos nossos. Era claro como a água, que a coisa não ia resultar, tanto que no presente, continuamos a “sofrer” o preconceito em muitos ramos da sociedade, e não se iludam meninas, a realidade é essa mesma!
Estou cansada do ritual diário de ter que disfarçar o meu humor, de passar o dia em frente do computador, com o telefone no ouvido, a tentar resolver problemas que nem são meus!
E como se isso não bastasse, ser fiscalizada e cobrada por mim mesma, ter a educação que é precisa, com a simpatia q.b., com a casa minimamente limpa e arrumada, com um leve sorriso no rosto, quando só me apetece gritar, chorar e desatar a partir tudo o que me aparecer pela frente (ufffffffffffffffffff!!!!!!!).
A história está repleta de mulheres que foram a excepção, que conquistaram o seu lugar ao sol e marcaram épocas, que foram marcos e fizeram grandes proezas. Isso só prova, que já outrora nós fomos guerreiras e lutadoras...mas isso não bastava, era preciso mais! Pois então,  tornámo-nos MULHERES com os mesmos direitos sim!  Hoje em dia já ocupamos lugares de poder na sociedade, conseguimos obter o respeito e a consideração do sexo oposto, mas não nos esqueçamos que também continuamos a ser “marginalizadas” e continuaremos a carregar o peso do preconceito, e tudo porquê? Porque nascemos com uma “rachita” entre as pernas! Volto a repetir, não se iludam, tudo o que disse atrás é a nossa realidade sim!
CHEGAAAAAAA! Eu quero recuar umas quantas décadas e quero que me sejam atribuídas somente as tarefas que a minha avó tinha! Se puder conciliar um ordenado com essas tarefas, melhor ainda!
Vocês pensam que eu estou a ser irónica? Estou a falar a sério! Estou a abrir mão do meu posto de mulher moderna...

 




Estou...:
publicado por Sem voltar atrás... às 12:02

link do post | Falem... | favorito
|
2 comentários:
De momentosdisparatados a 12 de Março de 2013 às 19:13
Felizmente com os meus horários tenho bastante tempo livre o que quer dizer que pareço as nossas avós que arrumavam a casa, lavavam a roupa (ok, é a maquina), passavam a ferro, faziam as compras e a comidinha era feita na hora para os maridos e filhos.
A grande maioria dos dias posso fazer e sabe tão bem.
Mas também gosto de trabalhar fora de casa...não era preciso era ser quase todos os dias.
Boa semana
De Sem voltar atrás... a 13 de Março de 2013 às 11:40
Como dizes e bem...não era preciso trabalhar fora todos os dias. Pois olha, eu não tenho tempo nem p'ra mim, nem para o babe, nem para a piolha...à excepção das horas ao final de cada dia que nos conseguimos reunir, aos fim de semana quase sempre o babe trabalha, de modo que me dedico às tarefas domésticas, que no final me deixam desgastada! Quero acreditar que um dia quando me aposentar, isto se não me passar para o lado ainda no activo, vou ter tempo para me dedicar a tudo o que agora não me é permitido. Um beijinho e boa semana.

Comentar post

.Eu vivo... Sinceramente eu vivo! Quem sou eu? Bem, isso já é pedir demais...

.pesquisar

 

.Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Portas abertas...

. Vidas em suspenso...

. Manuel de sobrevivência p...

. Francamente cansada...

. O MILAGRE DA VIDA - Parte...

. O MILAGRE DA VIDA - Parte...

. Em contagem decrescente.....

. O MILAGRE DA VIDA - Parte...

. O MILAGRE DA VIDA - Parte...

. FILHOS DA MADRUGADA

. Momento zen do dia...

.Sinais do tempo...

. Junho 2017

. Maio 2017

. Janeiro 2017

. Abril 2016

. Fevereiro 2015

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

.Contagem